Articulistas que pensam fora da caixinha #blogosferaoriginal

Dissertar, Articular e Textualizar.

Não importa a forma como é dito, comunicar é o seu objetivo final. Mas se a comunicação é ampla, se podemos nos fazer compreender por outrem por diversas formas, por que caímos o tempo todo no velho e desgastado padrão de comunicação? Por que seguir uma tendência se somos seres dotados de inteligência e valores pessoais que nos diferenciam uns dos outros?

Se Chacrinha estivesse vivo ele diria:

Quem não se comunica com originalidade se trumbica.

Não basta saber comunicar com eficiência, é preciso despertar, somar com a diferença e não com a igualdade. Só se multiplica aquele que pensa fora da caixinha. Só faz a diferença que se aventura a subir um degrau maior que os outros.


Por que eu estou dizendo isso só agora?

Porque eu estou cansada de ver pessoas com potencial para serem melhores repetirem os mesmos padrões frouxos, de gente sem criatividade e o menor talento para articular. E quem tem talento fica estacionado na mesmice por estar acomodado demais para pensar fora da caixinha, para somar sempre mais e melhor. Blogueiros cansam de cair nessa armadilha. Eu já perdi a vontade de ler blogs famosos por isso. O padrão de escrita é sempre o mesmo:

Título do artigo

Subtítulo

Parágrafo

  • Possibilidade de elementos em listas para facilitar a vida de alguém que não gosta de ler

Repetição da regra acima [...]

A maldita palavra “Conclusão” como título do último parágrafo
Parágrafo para finalizar o desenvolvimento

É como se esta forma de construção tivesse se tornado um viral da blogosfera ser multiplicado! Uma fórmula mágica do sucesso. Não estou dizendo que é errado. Em alguns casos você realmente precisa construir o raciocínio dessa forma, mas isso acabou virando uma regra!

Cadê a criatividade? Cadê a doce vontade de manipular as palavras e ter o maior orgulho disso?

Escrever não é um padrão a ser seguido. Blogar não é um padrão a ser vomitado com uma mentalidade fascista. Manipular palavras é organizar raciocínios, é você somar com a sua perspectiva de vida, seus valores pessoais e em grupo, é você crescer, debater, reunir e se fazer compreender.

Vocês já pararam para analisar um texto jornalístico, resenhas feitas por profissionais, artigos científicos, etc? Se não fizeram isso ainda, façam. Textos jornalísticos e trabalhos científicos, por exemplo, seguem regras específicas, mas nem por isso a escrita perde sua originalidade. Isso é manipular palavras, para que você seja compreendido por quaisquer classes sociais, sem desmerecer as palavras e a Língua Pátria com um padrão ferrado só para alguém dizer “Excelente texto” ou “Você escreve muito bem”.

Ter vontade de sair da mesmice, de pensar fora da caixinha, de querer sempre mais, de lutar, evoluir e manipular a arte da escrita cada vez mais é um trabalho árduo. Nós podemos ser muito mais.

Mas você prefere ficar sentado na mesma pedra, olhando a mesma paisagem e repetindo os mesmo valores morais sem graça porque ser assim é mais fácil.

É preciso estar em constante movimento para se enxergar além do horizonte.

1. Eu não tinha pretensão de publicar este artigo mas depois que li um texto do Geração de Valor me senti encorajada a postar pois quem pensa igual aos outros não chega a lugar algum.
2. Pesquise sobre o que significa “fascista” e você compreenderá o sentido do parágrafo. Mas se você estiver com preguiça, é no sentido da limitação, da fascinação por meio de uma mentira para se encontrar uma verdade que lhe favoreça por intermédio da ignorância do povo. E principalmente a intolerância da blogosfera aos que não seguem um padrão comum.
3. Que fique bem claro que quero apenas que respeite minha opinião e reflita. Se você vai levar este texto como um aprendizado ou esquecê-lo, são duas opções sinceras.

Bella Felix

facebooktwitterlinkedin

Cursando Design Gráfico, blogueira, pseudo-escritora, viciada em RPG e animes, desenha e devora livros. Autora dos blogs Pink Skull Design e The Black Element.